Primeira parte do projeto é finalizada

Depois de meses de preparação, os participantes do projeto Músicos do Elo finalizaram o curso de formação para os estágios nos hospitais. Foram muitos fins de semana de aula desde novembro de 2017, com muito aprendizado e troca de experiências. A primeira etapa do projeto se encerrou em abril e agora os músicos darão início às intervenções em diversos serviços da Santa Casa de São Paulo.

O curso de preparação

Renato Costa, músico e contador de histórias, participa da edição 2017/2018 do projeto desde o seu início. Ele conheceu o Músicos do Elo através de uma amiga e parceira de trabalho, com quem compõe um grupo de espetáculo infantil.

O paulistano conta que o curso o transformou como músico na medida em que a sua percepção sobre a própria música foi alterada. “Primeiro, temos que entender qual a postura do músico. O que ele tem que levar para as pessoas nesse momento? E então passamos por um crescimento, primeiro pessoal de transformação própria e de entendimento das necessidades das pessoas e segundo, de uma quebra de paradigma. Isso porque você não é mais um artista que está lá sendo o centro das atenções”, conta Renato.

O contador de histórias, então, conlcui que a grande mudança ao longo do curso foi a de postura em relação à música: “A música que você tem que levar é uma coisa que vai acalmar e alegrar. Então, não é você ser o músico… É você ser a música, o momento, o ambiente, a alegria, o acalanto, o acolhimento […]  e, assim, tentar entender por um olhar, por um gesto, o momento de cada pessoa”, explica.

Já para Nei Silva, a transformação que o curso trouxe foi outra. Ele atuou como professor no projeto e foi um dos grandes responsáveis pela formação dos alunos. “Curiosamente, eu já tocava para alguns conhecidos e amigos que estavam enfermos. Porém, com a vivência no Músicos do Elo, desenvolvi e ainda desenvolvo algumas técnicas que fazem toda positiva diferença em como abordar e se relacionar com os pacientes”, explica Nei, que já havia participado do projeto em 2013, na cidade de Sorocaba. O professor também conta que o que mais gostou no curso foi a metodologia da aprendizagem de criar instrumentos  com objetos sonoros, além do trabalho em duplas.

Para Renato, a melhor parte do curso foi a dedicação de toda a equipe envolvida. “Todo o conteúdo foi de muita importância pro aprendizado, mas acho que o mais importante foi o amor dedicado por cada um dos colaboradores, dos mestres que estavam ali, pra passar alguma coisa do conteúdo – tanto de humano, quanto técnico e  instrumental – pra gente.”

Os estágios

Com o fim do curso de preparação, a próxima etapa do projeto é a realização dos estágios na Santa Casa. Os músicos atuarão em duplas, por cerca de 3 horas semanais, em diferentes serviços do hospital, como a pediatria e o departamento de cirurgia. Renato conta que a expectativa para esse momento é muito grande: “Depois de todos esses meses em preparação, entendimento e conhecimento, finalmente nós chegamos na hora dos estágios. Então, é um pouco de nervosismo e de apreensão. Mas também é um momento de sincronizar, de se preparar melhor, de estar com a cabeça bem tranquila”, e conclui: “É uma expectativa muito grande, mas muito positiva, de conseguir extrair o máximo de mim mesmo e das pessoas que estiverem envolvidas junto com o meu trabalho. Que tudo seja muito bonito, muito mágico e que a gente consiga passar um momento de coisas boas pra essas pessoas que estão precisando de momentos bons.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s